Carregando

Carregando - Soprano

Cotação

0

Solicitação de Orçamento

Você adicionou um item à sua solicitação de orçamento:

Adicione itens para continuar.


Resumo da sua solicitação de orçamento


Qtd. Produto Código

Quase lá! Informe seus dados para finalizar a solicitação:


Ao informar meus dados, eu concordo com a Política de Privacidade e com os Termos de Uso

Sua solicitação foi enviada com sucesso!

Fique atento ao seu e-mail, em breve você receberá o retorno do seu orçamento.

Downloads

0

Meus downloads

Faça download dos arquivos selecionados.

Adicione itens para continuar.

Quase lá! Informe seus dados para finalizar a solicitação:


Ao informar meus dados, eu concordo com a Política de Privacidade e com os Termos de Uso.

Download concluído

Casa

Segurança e Proteção

Tecnologia

Projeto elétrico: quais são os materiais elétricos necessários?

Tempo de leitura: 15 minutos

Soluções improvisadas e inventivas em instalações elétricas, as famosas gambiarras, já não possuem aceitação de profissionais da área, graças aos grandes riscos que oferecem. Assim, a proteção e confiança de um projeto elétrico são cada vez mais presentes, se tornando uma garantia de segurança 


 

           Quando se trabalha no segmento de materiais elétricos é muito comum ouvir casos de sobrecarga de energia, ou os famosos curtos-circuitos, e suas consequências. Isso ocorre devido à falta de cuidado de alguns profissionais, à utilização de materiais de pouca qualidade e, sobretudo, a não realização de um projeto elétrico adequado.

         

           Possuir um projeto elétrico bem estruturado é essencial quando se tem como objetivo a criação ou modificação de uma rede elétrica. Por meio dele é possível ter uma visão completa, evitando, assim, contratempos e diminuindo o risco de futuros acidentes.


           Portanto, saber como auxiliar profissionais a projetar esse aspecto tão importante e ter conhecimento sobre os materiais elétricos mais indicados para cada situação é fundamental para quem atua no segmento. 


           O que é um projeto elétrico?

           

           Assim como a planta, elaborada por um arquiteto ou engenheiro, é imprescindível para a construção de uma casa, é impossível montar uma rede elétrica sem um projeto adequado. O projeto elétrico é o conjunto de todas as informações necessárias para realizar o trabalho: cálculos, desenhos, gráficos, materiais e tudo mais que se refere a uma instalação ou equipamento elétrico baseado em normas técnicas. 




           Ele pode ser uma lista, um diagrama, uma tabela, um desenho ou qualquer outra maneira de documentar as principais especificações. Independentemente da forma como ele é apresentado, o que importa é que ele seja capaz de garantir a infraestrutura elétrica da edificação, seja ela residencial ou industrial, e que contemple eficiência, segurança e adequação às normas técnicas vigentes.


           Por tudo isso, é importante que profissionais capacitados o façam. É muito comum diversas pessoas se arriscarem a fazer esses projetos, porém, é fundamental a presença de um profissional legalmente habilitado, que possua todos os requisitos necessários para fazê-lo com conhecimento e sem riscos.


           O atendimento às normas técnicas NBR 5410, que preveem determinações como aterramento, capacidade e disposição de cabos do neutro, número de polos reservas nos quadros, avisos de perigo a ser colocado nos quadros, determinação do diâmetro para a passagem de cabos e muito mais requisitos fazem parte do projeto elétrico. Tudo isso visando uma instalação segura e eficiente. 


           Os projetos elétricos são pensados e dimensionados de acordo com as necessidades do cliente. Dessa forma, busca-se adequar e otimizar o projeto a fim de trazer um melhor conforto e interação para sua utilização. Para sua realização, o projeto precisa conter pelo menos:


a)    Memória de cálculo;

b)    Quadro de cargas e suas especificações;

c)    Diagrama unifilar;

 

           8 etapas do projeto elétrico: saiba mais

 

          O projeto elétrico pode ser feito de várias formas, desde desenhado no papel até num software com a tecnologia BIM, entretanto, algumas etapas são essenciais, independentemente da forma escolhida para realizá-lo. O principal passo é atentar-se à norma NBR 5410. É ela que possui todos os requisitos determinantes de como um projeto elétrico de baixa tensão deve ser feito. Assim, depois de determinada a quantidade de tomadas, utilização de DR e DPS, define-se os pontos elétricos que o cliente deseja e por fim executa-se o projeto.


           Muitos técnicos responsáveis o dividem em oito etapas, com o intuito de padronizar a realização e assim garantir maior segurança e qualidade. A primeira delas é a análise da planta baixa do local, para definir a quantidade de lâmpadas e função de cada recinto para determinar os PTUG’S (Pontos de Tomadas de Uso Gerais). Em seguida se estabelece os pontos de tomadas de uso específicos (PTUE’S). A terceira etapa determina os circuitos elétricos e a quarta define o local de alimentação dos pontos de consumo.


           Para realizar o quinto passo é necessário utilizar fórmulas matemáticas que definirão a corrente elétrica. Em seguida, dimensiona-se o disjuntor aplicado no quadro de mediador. Aqui, é importante ressaltar que o tipo de disjuntor depende do fornecimento e do sistema de distribuição da companhia elétrica local. A sétima etapa trata da aferição da potência elétrica em todos os pontos de iluminação, de tomadas de uso geral e de uso específico. 


           Por último, é feito o diagrama unifilar, que representa a trajetória dos pontos e dos dispositivos. Seu objetivo é verificar quantos condutores passarão em cada eletroduto e seus respectivos trajetos.


           Qual a importância do projeto elétrico?


          O principal objetivo desse tipo de projeto, como dito anteriormente, é determinar a segurança das instalações elétricas. Ele não é composto apenas por desenhos ou cálculos, mas sim pela união de ambos, de forma a atender à norma regulamentadora e garantir uma instalação segura. Contudo, ele é de suma importância em diversos outros aspectos.


           Primeiramente, é essencial atender a demanda do cliente, contemplando suas necessidades e suprindo suas dificuldades. Além do mais, é primordial que se una isso às normas técnicas. A NBR 5410 determina todos os requisitos para fazer um bom projeto sem invalidar os desejos do cliente, sempre guiando para uma solução segura.


           Um grande benefício de fazer o projeto elétrico é estimar os gastos e evitar desperdício de materiais. Ao evitar a compra de materiais desnecessários, normalmente, o cliente opta por produtos de maior qualidade e que irão resultar em uma maior vida útil. Isso costuma evitar surpresas durante a execução da obra e garante que os fornecedores vão saber auxiliar com os materiais essenciais. 


           Além disso, pelo fato da segurança ser o principal benefício ao fazer um planejamento nas instalações elétricas, ele garante a conformidade com as normas vigentes. Com um projeto bem elaborado é possível reduzir as chances de curtos circuitos e excessos de cargas no sistema elétrico. 


           Riscos ao não realizar um projeto elétrico


           As consequências em não fazer um projeto elétrico podem ser grandes. Curtos-circuitos, incêndios e choques elétricos são apenas alguns exemplos. 


           Outro risco que pode ocorrer é a ocorrência de gastos desnecessários. Normalmente, ao não estabelecer os custos, eles costumam ficar muito mais altos do que o imaginado. Isso se dá devido ao fato da recompra de muitos materiais e ao não uso de tantos outros, além, é claro, da mão de obra sem um norte para guiá-la.


           Isso nos leva a outro ponto: a dificuldade da execução das instalações elétricas. Sem um projeto definido, tudo fica mais difícil, já que os objetivos não estão claros, os pontos de iluminação não estão determinados e os cálculos de distâncias não são precisos. Isso resulta em retrabalhos e prazos mais longos.


           Quais são os tipos de projetos elétricos?


           Embora a elaboração e execução de um projeto elétrico siga um padrão, é importante ressaltar que cada instalação possui características e necessidades diferentes. Portanto, o planejamento varia de acordo com os tipos de edificações em que serão instalados. Os tipos mais comuns são projetos elétricos residenciais, projetos elétricos prediais e projetos elétricos industriais.


           Cada um carece de uma carga diferente, por isso precisam ser pensados de forma variada. Num projeto residencial/predial, por exemplo, se trabalha, basicamente, com uma carga baixa e capacidades de curto-circuito muito menores, além de materiais muito mais simples. Por sua vez, numa instalação industrial, em função da carga alta e de uma corrente elétrica alta, exige um projeto mais complexo, onde são necessários mais cálculos, como fator de potência, fator de demanda, harmônicas, queda de tensão e outros.


           Entenda as principais diferenças entre cada tipo de projeto elétrico:

 

  • ·       Projeto elétrico residencial:


           Mesmo sendo menos complexo que os outros dois exemplos, ele é tão fundamental quanto. Afinal, ter todas as tomadas e interruptores nos locais certos, um disjuntor adequado e segurança nas instalações é muito importante para quem ali for morar.  


           Portanto, no projeto elétrico residencial vão estar presentes pontos de utilização e localização de energia, trajeto dos condutores, carga e divisões de cada circuito. Além disso, cabe a esse planejamento definir os pontos de luz a partir da análise de necessidade dos moradores em cada espaço, levando em conta a função de cada cômodo e os eletrônicos e eletrodomésticos que serão usados. Dessa forma, o projeto elétrico residencial busca unir segurança e conforto.


           O primeiro passo para idealizar esse tipo de projeto é ter a planta da residência. Com esse material será possível acessar as dimensões exatas do imóvel. Também é importante ressaltar que ele deve seguir a rígida norma da NBR 5410 e ser elaborado por profissionais capacitados. 


  • ·       Projeto elétrico predial:


           Esse é o tipo de projeto feito para atender prédios residenciais ou comerciais e, assim, garantir uma boa instalação elétrica para vários andares. Eles envolvem a passagem de fios, busway, reestruturação do sistema elétrico, como pontos de iluminação e instalação de tomadas, típicos de projetos residenciais. 


           O primeiro passo para executar um projeto elétrico predial é reunir todas as informações do imóvel junto com um engenheiro/arquiteto para definição dos locais de passagem da parte elétrica, a fim de evitar conflitos no momento da instalação. Portanto, é fundamental analisar sua planta baixa e verificar a presença ou não de outros sistemas elétricos. Além disso, é importante verificar a estrutura do local e se existem condições adequadas para receber a fiação. Essa análise contribui para diminuição do risco de curtos-circuitos e danos no sistema elétrico, garantindo maior proteção aos moradores ou trabalhadores.


           Com base nisso, é imprescindível que ele seja elaborado por profissionais capacitados e que tenham conhecimento sobre as normativas vigentes. É importante também que todos os envolvidos no planejamento entendam as particularidades da instalação e levem em consideração a durabilidade e segurança, tanto no momento de suprir os materiais quanto na hora da execução.

 

  • ·       Projeto elétrico industrial:


           Esse exemplo de projeto é um dos mais complexos e, por isso, carece de muita atenção dos profissionais envolvidos. Aqui, as estruturas são voltadas para suprir as necessidades específicas de ambientes industriais, como pavilhões ou grandes plantas fabris. Mais do que nunca é fundamental a presença de profissionais capacitados e a obediências às normativas regulamentadoras. 


            O principal objetivo no planejamento elétrico é suportar o funcionamento simultâneo e, muitas vezes, ininterrupto de várias máquinas, sejam de pequeno, médio ou grande porte. Portanto, é necessário, por meio de cálculos e fórmulas, prever as potências das cargas de energia e a capacidade de suportar o acionamento dos equipamentos utilizados.


           Assim como nos dois tipos anteriores, nos projetos elétricos industriais é essencial levar em consideração todas as características da estrutura, avaliando a planta baixa e entendendo, quando possível, os processos que ali serão instalados. Aqui, o principal tipo de proteção utilizada são os disjuntores/fusíveis. Outro ponto importante é a apresentação do percurso dos condutores, que garantem que os eletrodutos sejam distribuídos de maneira eficaz, garantindo energia para toda as áreas da indústria.


           Quais materiais elétricos são necessários em um projeto elétrico?

          

           Assim que estabelecido o planejamento, identificado o tipo de projeto e feitos os cálculos e desenhos, é chegada a hora de uma das etapas mais primordiais: a listagem dos materiais elétricos. 


           Aqui é muito importante garantir que os materiais sejam de boa qualidade. Portanto, comercializar produtos que possuam certificados ou tenham passado por testes que atendam os requisitos neles empregados é muito importante para os fornecedores. O uso de materiais de boa qualidade em um projeto elétrico é o diferencial que pode salvar as instalações e, até mesmo, vidas. 


           Dos produtos que possuem INMETRO, como por exemplo os disjuntores, cabos e chaves, é considerada a referência de qualidade de acordo com o instituto. Para os demais produtos, é sempre importante solicitar os ensaios e testes em atendimento às normas técnicas.


           Os principais materiais utilizados em projetos elétricos residenciais e prediais são: tomadas, interruptores, sensores, lâmpadas, campainhas, eletrodutos e fios elétricos. Por sua vez, nos projetos elétricos industriais, além dos produtos já citados, os disjuntores potentes são indispensáveis. É importante, também, classificar todos pelos seus diâmetros, bitolas, utilizações (fase, neutro e terra) e distância total que percorrerão, incluindo subidas/descidas. Uma dica válida, ao comercializar esses materiais, é indicar uma medida de, ao menos, 10%, para evitar imprevistos. 



LEIA TAMBÉM:



           Materiais Soprano para projetos elétricos


          Para qualquer tipo de projeto, a Soprano vem ampliando seu portfólio para atendimento. Hoje a marca possui a parte geral de proteção elétrica, como disjuntores, DRs, DPS e quadros, além de seus acessórios. A Soprano também conta com a linha completa de interruptores e tomadas com designs modernos e de acordo com a preferência do cliente.


           Para a área industrial, também possui uma linha de proteção de alta qualidade, com disjuntores de altas correntes e altas capacidades de interrupção e DPS. Já, para a linha de comando, temos as contatores e reles, bem como disjuntores motores e linhas de botoeiras.

           A Soprano, além de possuir todos os certificados dos produtos, também possui laboratório onde é possível o ensaio dos mais variados produtos e execução da maioria dos testes. Dessa forma, garante a todos comerciantes e clientes finais ampla qualidade de seus produtos.

 

Você quer saber como melhor auxiliar seu cliente e, por consequência, vender mais? Especialize o seu atendimento ao comprador! Confira, também, o nosso conteúdo exclusivo com dicas para ajudar seu consumidor a criar uma lista de materiais elétricos essenciais!





Publicado por Soprano, dia 08/04/2021

Ficou com alguma dúvida?

Fale Conosco